/ Marketing de Conteúdo

Marketing de conteúdo para agências: como se tornar referência

Hoje em dia vemos muitas agências surgindo, cada dia com propostas mais inovadoras e muitas vezes sem conseguir gerar resultado para seus clientes. Isso deixa o mercado cada vez mais desconfiado e menos propenso a confiar nesses negócios. Se sua empresa passa por isso você precisa aprender a fazer marketing de conteúdo para agências.

O marketing de conteúdo para agências pode ser um grande aliado estratégico na arte de conquistar clientes e fechar negócios.

Isso porque ele garante o aumento de tráfego no blog da agência e, à longo prazo, transforma a agência em referência na área.

Mas, como conseguir essas façanhas? O que faz o marketing de conteúdo para agências gerar tais resultados? É sobre isso que falaremos a seguir.

O marketing de conteúdo para agências deve conter conteúdos diferenciados

Você nunca vai se tornar referência se publicar as mesmas informações que os seus concorrentes.

Para se diferenciar é preciso fazer diferente, fazer melhor. Por isso, procure sempre superar os conteúdo que já ocupam as primeiras colocações do Google.

Não tenha medo de ensinar. Essa é a base do marketing de conteúdo. Você precisa criar conteúdo relevante para a sua persona, ou seja, falar sobre assuntos que ela tenha interesse.

Busque sempre ajudá-la a resolver suas dores e tirar suas dúvidas, mesmo (e principalmente) se isso envolver o trabalho que a sua agência executa.

Não pense que ensinando a pescar a pessoa não precisará do pescador. Quando você mostra o quanto sabe sobre a pescaria, as pessoas passam a te enxergar como referência.

Nem todo mundo quer ter um equipe interna de marketing de conteúdo, muitas empresas preferem contratar agências especializadas nisso, e é mostrando que você sabe que você conquistará esse público.

Se a pessoa vê a sua agência como referência na área, por que contrataria outra?

Deve ter foco em SEO

SEO é a sigla de Search Engine Optimization, que em português significa Otimização para Mecanismo de Busca.

Todo mundo sabe que as pessoas jogam no Google aquilo que precisam saber e abrem os primeiros resultados. Pouquíssimas são as pessoas que passam para a segunda página do Google.

Por isso, quando falamos em marketing de conteúdo para agências a gente fala da corrida pela primeira colocação do Google, que é algo muito concorrido.

Existem milhares de agências no Brasil e se você quer ser encontrado na primeira página, deve escrever artigos que mereçam essa colocação.

Os profissionais de SEO estão constantemente estudando o algoritmo utilizado pelo Google, e todas as suas atualizações, para poder criar conteúdos cada vez mais otimizados, aumentando assim a chance pelas primeiras colocações.

Caso sua agência não possua um especialista em SEO, vale a pena procurar por uma consultoria na área, assim, seu negócio já vai começar a estratégia de marketing de conteúdo na frente.

Deve ter (e respeitar) um calendário editorial

Qualidade e frequência. Pense nessas duas palavras quando for planejar o conteúdo do seu blog.

Todo mundo que tem um blog — empresarial ou não — sonha em ter um público fiel, que acompanhe as postagens, comente e se envolva.

O primeiro passo para conseguir esse tipo de público é postando conteúdos com frequência definida e cumprindo essas datas.

Quanto mais conteúdo você for capaz de publicar, melhor, pois terá mais palavras-chave na busca pelas primeiras colocações.

No entanto, não adianta focar na quantidade se a qualidade não se mantiver alta.

Faça um teste. Quantos conteúdos bem escritos sua agência é capaz de produzir na semana? Se for apenas 1, publique 1 conteúdo por semana. Se forem 2, publique 2.

Agora, se os conteúdos estão perdendo a qualidade, é hora de diminuir a frequência, ok? Nada de publicar artigos "mais ou menos" no seu blog.

Lembre-se que a sua agência quer se tornar referência no meio e, para isso, precisa mostrar que sabe do que está falando.

Deve trabalhar com funil de vendas

Se você tem uma agência muito provavelmente já ouviu falar em funil de vendas.

O funil de vendas representa a jornada do consumidor desde o primeiro contato dele com a marca (nesse caso, a agência), até o momento que ele decide, de fato, fechar negócio.

Criar conteúdos específicos para cada etapa do funil é importante para guiar o possível cliente pelo caminho que você deseja.

Os conteúdos devem ser divididos em topo de funil, meio de funil e fundo de funil.

  • Topo de funil: conteúdos mais abrangente e educativos, buscando tirar dúvidas da persona e ajudar com seus problemas. Esse consumidor não está pronto para a compra;
  • Meio de funil: conteúdo mais aprofundados, focados na solução do problema da persona. Aqui a persona começa a considerar a solução oferecida por você como uma boa solução. Crie artigos mais aprofundados, e-books e webinars.
  • Fundo de funil: essa é a hora de fechar negócio. A pessoa já está propensa a fechar com você, só falta um "empurrãozinho". Para o fundo de funil, ofereça períodos de teste do seu produto e publique cases de sucesso que a farão apenas ter mais certeza sobre a decisão a ser tomada.

Sobre a proporção desses conteúdos:

Você deve considerar que nem todo mundo que entra no funil pelo topo, chega ao meio, e nem todo mundo que chega ao meio, chega ao fundo.

O funil é justamente um funil porque vai se afunilando. Sendo assim, a quantidade de conteúdos topo de funil deve ser consideravelmente maior que meio e fundo.

Separe uma proporção de cerca de 80% do conteúdo sendo direcionados ao topo de funil, os outros 20% devem ser distribuídos entre meio e fundo, sendo que o meio deve ter mais conteúdos que o fundo.

Trabalhando dessa forma, você garante bastante conteúdo atrativo, fazendo as pessoas caírem no seu funil e, através de CTAs (chamadas para ação), você as direcionará às próximas etapas do funil.

Ficou com alguma dúvida sobre como trabalhar o marketing de conteúdo para agências? Não fique tímido, entre em contato com um traffer e nós teremos o maior prazer em tirar suas dúvidas.

Abraços e até a próxima!

Marketing de conteúdo para agências: como se tornar referência
Share this