/ Marketing de Conteúdo

Marketing de Conteúdo: o guia completíssimo para iniciantes

Está querendo fazer seu negócio crescer no meio digital? Acredita no poder do marketing digital mas não quer ficar refém das redes sociais? Gostaria de criar seu próprio público na Internet? Então você precisa conhecer o Marketing de Conteúdo.

Segundo a Aberdeen, os "líderes de marketing de conteúdo" têm um crescimento anual 7,8x maior que seus seguidores.

Nesse caso, entende-se por "líderes de marketing de conteúdo" aqueles profissionais da área que entendem a lógica desse tipo de marketing, tem uma estratégia em vigor e a coloca em prática.

O que é marketing de conteúdo?

Nós da Traff utilizamos a seguinte definição de marketing de conteúdo:

Marketing de conteúdo é uma forma de atingir seu público-alvo e aumentar sua rede de potenciais clientes através da criação de conteúdos de alto valor, transformando sua marca em referência na área.

O que isso quer dizer, na prática?

Quer dizer que, através de um marketing de conteúdo bem feito, uma empresa se posiciona no mercado como especialista naquele determinado setor, o que atrai novos clientes.

O marketing de conteúdo consiste em criar conteúdo de qualidade altíssima que gerem grande valor aos leitores, educando-os sobre determinado assunto.

Esse leitor, ao assinar uma newsletter ou baixar um e-book, disponibiliza seu e-mail para a empresa, que começa o processo de nutrição de lead para transformá-lo em uma oportunidade , e depois em uma venda.

O marketing de conteúdo é uma parte — uma parte importante — do Inbound Marketing, que consiste buscar conseguir o interesse do público sem invadir o espaço dele.

Quando vemos uma propagando passar no intervalo da novela, por exemplo, queremos ver a novela e não os comerciais, dessa forma, essa é uma estratégia invasiva.

O Inbound busca captar seu próprio público. Quem está alí está por ter real interesse e não por falta de opção.

O Inbound Marketing é um tipo de marketing que está dentro do marketing digital, o que significa que todas essas ações são feitas no ambiente virtual.

A história do Marketing de Conteúdo

É importante conhecer as origens, mas como o marketing de conteúdo surgiu ainda é uma história bastante debatida.

Alguns especialistas afirmam que o marketing de conteúdo começou com pinturas rupestres.

Outros dizem que o primeiro desenvolvimento real veio com a invenção da impressora Gutenberg, que catalisou a criação de panfletos e outros materiais de marketing amplamente divulgados.

Outros ainda afirmam que o marketing de conteúdo só surgiu depois da "democratização" do conteúdo através da comunicação em massa pela Internet.

Algumas dessas teorias têm peso. Outros podem ser um pouco exagerados.

O que é realmente importante é entender as ideias e eventos que definem nossa história como profissionais de marketing: os principais pontos de virada marcados por marcas, campanhas, tendências, invenções e inovações.

E, examinando a história do marketing de conteúdo, podemos ver que a história às vezes se repete.

Nós, profissionais de marketing, podemos estar mais bem preparados para o futuro, tomando lições do passado e usando-as para melhorar nossas estratégias de conteúdo no futuro.

Sem mais delongas, aqui está um pouca da história do marketing de conteúdo e as lições que podemos aprender com ela.

Michelin: um dos primeiros exemplos de marketing de conteúdo

Em 1900, o fabricante de pneus Michelin percebeu que, para vender mais pneus, precisava que as pessoas viajassem mais.

Para isso, ele desenvolveu o Guia Michelin. O guia original era um documento de 400 páginas criado para ajudar os motoristas a manter seus carros e encontrar acomodações de viagem.

O guia também ofereceu dicas gerais de viagem, juntamente com endereços de estações de arquivo, mecânicos e, é claro, revendedores de pneus.

Ao incentivar os clientes a viajar e, por sua vez, desgastar seus pneus, a Michelin posicionou esse conteúdo inovador para gerar mais vendas.

Você certamente já ouviu falar neste guia, que atualmente é um guia de restaurantes e hotéis por todo o mundo. Ele classifica os estabelecimentos com até 3 estrelas Michelin, que são o sonho de todo e qualquer chef de cozinha.

Atualmente, o Guia Michelin cobre 23 países em três continentes. O guia foi gratuito até 1920, mas ele já é vendido.

Pense nisso, a Michelin criou um conteúdo que foi tão útil que as pessoas agora estão dispostas a pagar por ele quase 100 anos depois!

No Brasil, a história do Leite Moça

Ainda antes da Era Digital, a linha de leite condensado da Nestlé começou uma estratégia que podemos considerar como sendo uma estratégia de marketing de conteúdo.

Ela colocou, em cada embalagem de seu produto, uma receita de doces deliciosos que poderiam ser feitos com aquele produto.

As doceiras de plantão adoraram a novidade e começaram a guardar esses conteúdos em seus livros de receita. A marca conseguiu estimular o uso do Leite Moça ensinando novas formas de utilizá-lo.

É o princípio básico do marketing de conteúdo sendo colocado em prática: ensinar através de conteúdo interessante e de qualidade.

A chegada da Internet e das Mídias Digitais

Claro, tudo mudou depois que a Internet se tornou uma necessidade doméstica. A maneira como as pessoas pegaram suas informações começou a mudar.

Junto com o boom da internet, as formas de comunicação das pessoas começaram a mudar também.

Agora, as pessoas tinham celulares; todos nós começamos a explicar "mensagens de texto" para nossos pais; nós tínhamos contas MSM ou Myspace.

Em vez de ligar para a casa do seu amigo, você conversaria com eles online. O que começou com as salas de bate-papo com computadores tornou-se um fenômeno cultural mundial.

Os profissionais de marketing viram o potencial de usar as mídias sociais como uma forma de promover e gerar tráfego para seu conteúdo.

Depois que um artigo, vídeo ou infográfico foi publicado, as marcas puderam compartilhá-lo em vários canais sociais para criar um burburinho em torno da peça.

Agora que temos Facebook, Twitter, Instagram, Google+, Pinterest e muito mais, a Internet se tornou — não surpreendentemente — uma zona de interação social.

Hoje, o número de redes sociais e comunidades online é impressionante. As pessoas vão à Internet especificamente para socializar compartilhando informações ou mídia, participando de discussões e fazendo parte de uma comunidade.

Pense nas mídias sociais como uma forma de propaganda boca-a-boca — que é o melhor tipo de publicidade — mas é uma nova palavra da boca, onde a palavra viaja muito, muito mais rápido.

O Marketing de Conteúdo na atualidade

Na história do marketing de conteúdo, as marcas lutaram contra mudanças de tendências, políticas e estratégias após as atualizações do Google ou a alteração de algoritmos.

Mas isso é sempre uma coisa boa para o marketing de conteúdo, pois repele a produção de conteúdo ruim e promove conteúdo útil.

Há alguns anos, algumas marcas usavam conteúdo plagiado, outras adicionavam links não relacionados ou irrelevantes em seu conteúdo em troca de dinheiro.

Isso ocorria porque as marcas queriam ter uma classificação mais alta nas páginas de resultados do mecanismo de pesquisa (SERPs, Search Engine Results Pages), mas ainda não sabiam como atingir essa meta.

Os profissionais de marketing de conteúdo continuam a contar sua história, fornecem valor aos leitores e produzem algo útil para o público.

Com a melhoria dos algoritmos, o conteúdo irrelevante e com spam é removido da página de resultados e o conteúdo de qualidade que conta uma ótima história ainda permanece.

Atualmente, mais empresas estão se afastando das campanhas publicitárias tradicionais e procurando maneiras mais eficazes e autênticas de se conectar com seus clientes.

Hoje, os principais sites oferecem mais do que apenas informações sobre sua empresa e ofertas de produtos. Eles fornecem recursos para a solução de problemas do cliente e postam conteúdo novo e envolvente para manter o público em busca de mais.

O marketing de conteúdo está se tornando cada vez mais popular para empresas de todos os setores.

As marcas estão começando a pensar e agir como editores, oferecendo ao público conteúdo de qualidade regularmente.

Em geral, há muitas maneiras de adaptar e melhorar uma estratégia de marketing de conteúdo para acompanhar as tendências e estratégias de mudança.

A parte importante é ficar a par das percepções da indústria e das necessidades do público.

Cinco lições que tiramos da história do Marketing de Conteúdo

Na história do marketing de conteúdo, podemos identificar padrões e tendências que oferecem lições valiosas para uso hoje.

1. Qualidade sobre a quantidade

Se sua marca for apenas outra voz no feed, prepare-se para ser ignorada. A competição de conteúdo está ficando mais acentuada e as redes sociais estão se tornando mais sofisticadas.

Para não gastar tempo criando conteúdos que trazem baixo resultado, você precisa se concentrar em conteúdo de qualidade que ressoe com seu público.

Foque em conteúdo de qualidade em poucos canais e só depois pensa em expandir seu conteúdo para outros canais.

2. A história se repete

Se antes as pessoas guardavam as receitas da embalagem do Leite Moça, hoje elas procuram receitas no Google e o seu produto deve estar lá na primeira colocação.

Os meios se modificam mas a dinâmica permanece a mesma. Oferecer conteúdos que sejam de interesse do seu público alvo é a maneira mais certeira de atingir potenciais clientes.

Veja o que funcionou no passado (até oito décadas atrás!) E use esses sucessos como inspiração para a futura criação de conteúdo.

3. Conheça o seu público-alvo

Conheça seu público-alvo, quais canais eles usam e que tipo de conteúdo ressoa com eles.

Criar bons conteúdos mas que não sejam de interesse do seu público é gastar tempo e jogar dinheiro fora.

Identifique as principais perguntas do seu público e se preocupe em respondê-las. Entenda suas principais dores e ofereça formas de resolvê-las.

Você pode fazer isso examinando o comportamento do seguidor em seus canais e de seus concorrentes.

4. Adaptar-se ou morrer

Sua estratégia de conteúdo precisa se adaptar às necessidades de cada novo canal, acompanhar os avanços tecnológicos e acompanhar as mudanças nas práticas de marketing de conteúdo.

Um exemplo disso são as redes sociais que surgem e morrer. Sua marca não pode ficar refém de um mídia social, ela precisa criar seu próprio público e se adaptar às diferentes mídias.

5. Corra riscos

Muitos exemplos brilhantes da história do marketing de conteúdo envolvem algum elemento de risco.

Quem imaginaria que uma marca de pneus criando um guia de restaurantes faria tanto sucesso e geraria tanto resultado para a marca? Foi um risco.

As empresas pioneiras nas grandes ideias sempre são as que correm os maiores riscos, mas também são as que ganham os melhores resultados.

Uma abordagem orientada por dados é essencial para criar uma estratégia eficaz de marketing de conteúdo, mas se você não estiver disposto a arriscar e tentar novas táticas, poderá perder uma oportunidade de fazer história!

Os benefícios do Marketing de Conteúdo

Você já entendeu que o que é marketing de conteúdo e como ele gera valor para seu público-alvo, mas esse não é o único benefício que ele traz.

Os resultados trazidos pelo marketing de conteúdo vêm através de uma série de benefícios que ele gera para a sua empresa.

Veja só:

Educa o mercado

Educar o mercado é exatamente de onde vem a geração de valor para o público. É através da transmissão de conteúdo de qualidade e informações pertinentes que educamos nossos leitores, gerando assim, valor.

E educar o público é uma estratégia muito eficaz para as empresas, pois muitas vezes o público não sabe que tem um problema e muito menos como solucioná-lo.

Esse é a deixa perfeita para a empresa conversar com o consumidor, mostrar como solucionar seus problemas e se colocar à disposição para qualquer ajuda.

Te posiciona como especialista

Quando você oferece diversos conteúdos que ajudam seu leitor a entender melhor suas dores e, principalmente, o ajudam a resolver tais questões, você se mostra como um entendedor.

E aí eu te pergunto, se você, como consumidor, precisa resolver um problema e você conhece alguém que entende do assunto, você procuraria outra pessoa?

Essa é a mágica do marketing de conteúdo: ele prepara todo o terreno até que o consumidor esteja pronto para a venda.

Aumenta o tráfego orgânico do seu site e blog

Hoje em dia muito se gasta com mídia paga no meio digital. Seja impulsionando publicações no Facebook ou criando anúncios no Google AdWords, fazer sua marca aparecer tem valido uma grana.

Por isso, mais do que nunca empresas de todo o mundo têm procurado formas orgânicas (ou seja, sem pagar) de conseguir audiência. E o marketing de conteúdo é uma dessas formas.

Boas estratégias de marketing de conteúdo têm como grande aliado as técnicas de SEO , que são formas de posicionar a sua página nas melhores colocações do Google sem patrocinar.

Os resultados adquiridos com essa prática são imensos e geram muita economia com mídia paga. E é por isso que hoje em dia muitas empresas investem em marketing de conteúdo ou contratam uma consultoria em SEO ao invés de patrocinar links e artigos.

Reduz o custo de aquisição de clientes

Toda organização tem um custo de aquisição de clientes. Essa métrica é conhecida como CAC e mede quanto a empresa gasta para conseguir um único cliente.

Esse indicador leva em consideração os gastos com marketing, a comissão dos vendedores, o treinamento do time comercial, mídia paga online e offline etc.

A questão é que toda empresa precisa ter lucro para sobreviver; e quando o CAC é baixo, o valor pago pelo cliente cobre esses custos iniciais e dá lucro para a empresa.

Sendo assim, quanto menor for o custo de aquisição de clientes, melhor é para a empresa.

Com marketing de conteúdo, diminui-se o valor gasto com mídias pagas e a necessidade de prospecção ativa para ganhar clientes, pois seu público-alvo chegará até você através de conteúdos bem ranqueados nos motores de busca.

Ajuda no seu processo de atendimento ao cliente

Se você acha que criar conteúdo é apenas para atrair clientes em potencial, você ainda não entendeu 100% o que é marketing de conteúdo.

Uma boa estratégia de marketing de conteúdo também inclui recursos para seus clientes existentes, como:

  • Tutoriais: eles ajudam a obter o máximo do seu produto/serviço, mostrando-lhes como utilizá-los corretamente;
  • FAQs: perguntas frequentes são ótimos tópicos de conteúdo, porque você gasta tempo apenas uma vez para responder uma questão que é perguntada diversas vezes por clientes distintos. Além disso, as perguntas frequentes também podem gerar muito tráfego orgânico;
  • Atualizações da comunidade: compartilhar depoimentos de clientes ou simplesmente compartilhar conteúdo interessantes com os clientes ajuda a construir um senso de comunidade, além de promover sua marca de uma maneira autêntica.

Os piores erros de marketing de conteúdo

A eficácia do seu marketing de conteúdo pode alavancar ou quebrar seu negócio. Trouxemos para você hoje os piores erros de marketing de conteúdo que você poderia estar cometendo:

1. Não conhecer seu público (Buyer Personas)

Não entender profundamente sua persona é muito comum mas é um dos maiores erros de marketing de conteúdo

Por não ter tempo para pesquisar e entender seu público, como você pode saber quais tópicos chamam a atenção deles? Provavelmente você não faz ideia.

Uma ótima maneira de aprender mais sobre o seu público é desenvolver a persona do seu negócio, ou seja, o perfil fictício de um comprado ideal.

Faça a si mesmo estas perguntas sobre seus leitores:

  • Qual é a faixa etária deles?
  • Qual é o cargo deles?
  • Qual é o seu status financeiro?
  • Seu nível de escolaridade?
  • Quais são os seus hobbies?
  • Quais são seus pontos de dor?

Para realmente aprimorar suas personas de comprador, conduza uma entrevista com um cliente real (ou vários).

Os tópicos do seu blog devem depender da sua persona. A maioria das empresas veem o blog como uma oportunidade de educar e nutrir possíveis cliente, na esperança de empurrá-los para baixo no funil de vendas.

E para que isso seja possível, o conteúdo precisa estar adequado para o perfil da sua persona

2. Não fornecer qualidade

O principal objetivo do marketing de conteúdo é fornecer aos seus leitores e leads informações de qualidade.

Para manter seu conteúdo atualizado e garantir a leitura pelo seu público, é importante publicar com frequência e consistência.

Quando você não postar artigos de blog por um período significativo, os leitores deixarão de acessar seu site. Poste sempre que puder, garantindo a publicação de conteúdo de qualidade.

Se você puder postar apenas uma vez por semana, tudo bem. Concentre-se na qualidade sobre a quantidade. Quando você começa a publicar lixo, você começa a perder leitores, leads e, por fim, clientes.

Além disso, com o algoritmo de busca do Google, em constante evolução, a criação de conteúdo de qualidade é a única maneira confiável de ser encontrado e classificado.

3. Não corrigir ou editar

Para todos vocês loucos por gramática esse é provavelmente um dos seus maiores erros de marketing de conteúdo.

Com que frequência você lê um artigo no blog e a pessoa ou empresa nem sabe a diferença entre "por que" e "porque"?

Pequenos erros como esse tendem a fazer com que os leitores saiam correndo. Algo que você deve sempre fazer antes de publicar seu conteúdo é revisá-lo e fazer as alterações necessárias.

Revise prestando atenção a possíveis erros de digitação, gramática, concordância e ortografia e peça a um colega que leia também. Melhor prevenir do que remediar.

4. Não Reutilizar e Redirecionar

Se a sua empresa já cria conteúdo há algum tempo, você provavelmente publicou uma tonelada de conteúdo que abrange uma ampla variedade de tópicos. A melhor parte sobre todo esse conteúdo é que você pode usá-lo repetidamente.

Ideias para reutilizar e reutilizar conteúdo:

  • Se você tiver um relatório, ele pode ser dividido em vários artigos do blog;
  • Crie um vídeo ou uma apresentação de slides com seus artigos mais completos;
  • Tenha seus materiais de áudio e vídeo transcritos no formato escrito;
  • Aumente um conteúdo existente expandindo determinados pontos, introduzindo novas ideias, etc;
  • Compartilhe novamente um conteúdo antigo mas que ainda seja atual.

Ninguém quer reinventar a roda criando novos conteúdos todas as vezes. Uma ótima maneira de promover seus e-books é fornecer aos seus leitores um pedaço dele em um dos artigos do seu blog. Só não se esqueça de adicionar um CTA na parte inferior do artigo do blog, dizendo aos seus leitores para baixar o e-book completo.

Não deixe seu trabalho duro simplesmente desaparecer. Mantenha seu conteúdo trabalhando para você, redirecionando-o.

5. Falta de um call-to-action

Quando se trata de erros de marketing de conteúdo, muitos profissionais se esquecem de adicionar calls-to-action (CTA) a vários lugares em seus canais de marketing.

Não há melhor maneira de orientar as pessoas para outras partes do site do que por meio de CTAs claras e objetivas.

Se você não informar seus visitantes ou prospects sobre seus serviços ou produtos, como eles vão saber que você os oferece? Eles provavelmente não vão. É por isso que você deve adicionar CTAs que os enviam para essas páginas de venda ou de informações.

Cada parte do conteúdo deve ter um propósito e um CTA. Seja para obter uma cotação para seus serviços de TI ou uma oportunidade de obter uma lista de verificação gratuita, isso não importa.

Considere colocar um CTA:

  • No seu blog;
  • Em suas mensagens de email;
  • Na sua página do Facebook;
  • Em todas as páginas do seu site;
  • Nos seus e-books e webinars;
  • Em apresentações;
  • Dentro da sua assinatura de email.

6. Títulos aleatórios

Como é que um dos artigos do seu blog pode ver centenas de visualizações, enquanto outro apenas fica na prateleira coletando poeira?

A verdade é que há uma tonelada de fatores que contribuem para o sucesso e o fim do conteúdo que você oferece.

Os próximos 4 erros descritos aqui (esse e mais 3) falam especificamente dos erros na produção do conteúdo, o que pode estar custando oportunidades valiosas para sua empresa.

O primeiro deles é um título inadequado. Se não há um estudo por trás de cada título, o texto como um todo talvez não gere os resultados que você deseja.

O título do seu conteúdo geralmente serve como a primeira linha de comunicação entre um cliente e sua marca.

Se você está procurando uma maneira de formatar seus títulos para garantir que eles recebam a atenção que merecem, considere revisitar as análises do seu site.

Ao analisar os títulos que tiveram um bom desempenho no passado, você descobrirá informações que podem ser usadas para criar títulos futuros.

Além disso, a análise de compartilhamento ajudará você a escolher os títulos que foram bem recebidos pelo seu público em plataformas de mídia social.

Um compartilhamento em redes sociais é valioso em termos de distribuição de conteúdo, pois abre um novo caminho para o seu conteúdo alcançar um público inexplorado.

7. Sem compartilhamento

Embora isso possa não parecer um problema em um primeiro momento, pedir a seus leitores que copiem, colem e compartilhem manualmente seu conteúdo pode, muitas vezes, pedir muito.

Pense na maneira como você consome conteúdo.

Muitas vezes você se vê lendo um artigo, você vê o valor nele, você vai encontrar o botão de compartilhamento para que você possa espalhar a palavra para seus seguidores... e então não é encontrado em lugar algum. Decepção.

Você quer que seja tão fácil quanto humanamente possível para os leitores compartilharem seu conteúdo.

Se você não conseguir criar uma maneira rápida e fácil para que eles compartilhem seu conteúdo diretamente, você corre o risco de perder essa oportunidade de compartilhamento.

Os botões de compartilhamento social não apenas melhoram a experiência do usuário, como também contribuem para o nível de exposição da sua marca.

Tudo o que precisamos é de uma compartilhamento para que seu conteúdo chegue em um novo leitor, que pode então compartilhar com os seus seguidores, que poderão depois twittar para o seu público, que ... bem, você entendeu.

8. Falar com a multidão errada

Ao criar conteúdo, muitos profissionais de marketing são atormentados pela ideia de que precisam agradar a todos e isso é um erro de marketing de conteúdo terrível.

Eles reconhecem que a criação de conteúdo atraente e consistente tem a capacidade de atrair, converter, fechar e encantar os clientes.

O problema com essa abordagem de criação de conteúdo é que você simplesmente não pode agradar a todos e fazer isso bem. Escreva sobre o que você sabe, o que você entende e sobre o que seu público quer saber.

Se você tentar agradar a todos, perceberá que é difícil atrair um público fiel, já que seu conteúdo estará em todo o lugar, em vez de se concentrar nos interesses e necessidades de um determinado grupo.

Para criar conteúdo verdadeiramente engenhoso, você deve saber o que motiva sua persona.

9. Venda egoísta

Não há nada pior do que um convidado de festa que só quer falar sobre si mesmo. Eles mastigam seu ouvido por horas e não deixam você falar, enquanto você fica de pé ali, com o olhar entendiado, concordando com tudo que dizem.

Muitas vezes você sai da conversa com um gosto ruim na boca, pois não consegue compreender como alguém pode ser tão egoísta. Bem, o mesmo se aplica à criação de conteúdo.

Ninguém quer ficar preso lendo um artigo no blog escrito por um escritor de auto-serviço, então evite criar conteúdo que seja tudo sobre você, você, você.

Em vez disso, concentre-se em orientar seu conteúdo em torno das necessidades de seu público. Pense nas suas postagens no blog como uma oportunidade de fornecer aos prospects um recurso valioso, não um argumento de vendas.

Uma das coisas mais importantes a ter em mente ao criar um novo conteúdo é que ele deve atender às necessidades do público-alvo, não ao seu.

O marketing de conteúdo se basta sozinho?

Bem, por mais que a gente ame o marketing de conteúdo, a resposta é não, e se você entendeu bem o que é marketing de conteúdo e como ele funciona, você já sabia essa resposta.

Como já dissemos, o marketing de conteúdo é uma das estratégias (talvez a mais eficiente) do Inbound Marketing.

Se seu site performar super bem e você conseguir colocar seus artigos na primeiras colocações dos motores de busca significa que sua estratégia de marketing de conteúdo está dando certo.

No entanto, se não houver um trabalho de captação e nutrição de leads para continuar o trabalho iniciado pelo blog, de nada adiantará.

Você terá um blog super bem posicionado e isso não gerará novos negócios para a sua empresa.

Por isso, pense sempre no todo. É preciso ter:

  • Uma boa equipe para trabalhar o Inbound como um todo;
  • Um especialista em SEO do seu lado;
  • Um fluxo de cadência bem estruturado para a nutrição dos Leads;
  • Uma excelente e bem treinada equipe de vendas;
  • Um bom produto.

E aí? Agora que você entende de verdade o que é marketing de conteúdo, se sente preparado para encarar esse desafio? A Traff pode te ajudar! Entre em contato com um Traffer clicando aqui.

Marketing de Conteúdo: o guia completíssimo para iniciantes
Share this